NÃO HÁ TÉCNICA PARA ADIVINHAÇÕES

 

Folha de Pernambuco. 30 de março de 2003

nÃO HÁ

 

A precognição ou premoni­ção é um dos temas mais com­plexos estudados pela parapsi­cologia, ciência encarregada de investigar fenômenos atri­buídos ao oculto, ao misterio­so. Na opinião do parapsicólogo Valter da Rosa Borges, a questão não é acreditar se é possí­vel ou não prever o futuro, mas se existem indícios de que o homem pode ou não adivinhar o que ainda não aconteceu. Sobre este assunto, Valter é taxativo. "O futuro não existe. É um elenco de probabilidades que podem ou não se concretizar".

Para ele, as pessoas têm inten­ções de no futuro realizar de­terminadas coisas. O fato em si é provável, mas não é possível de ser determinado. Pode haver uma coincidência entre a pre­visão e o que realmente acon­teceu. "Mas não se pode ter uma técnica para conhecer o futuro. Cientificamente, elas não têm nenhum valor. Quase a totalidade das previsões falham, mas não se publicam os fracassos, apenas os escassos acertos. Muitos dos que fazem previsões até acreditam que essas técnicas funcionam. Outros fazem isso para ganhar dinheiro", avalia.

O descontentamento com a realidade e a insuficiência do pensamento racional em pre­encher os anseios humanos podem explicar o porquê das técnicas premonitórias serem ainda tão solicitadas. "Quando um povo se encontra na aflição e não há solução clara para os seus problemas, ele apela para o sobrenatural. Isso é psico­lógico, acaba funcionando como uma válvula de esca­pe", analisa.

O parapsicólogo desafia qualquer adivinho a submeter suas previsões ou leituras do presente e do passado a uma in­vestigação científica. "Quanto mais gerais são as previsões, mais possíveis de acontecer. Seria mais interessante dar detalhes, afastar-se do subjetivo e especificar o máximo possível. A ciência lida com dados con­cretos. Dizer que no ano que vem vai cair um avião, vai morrer um político, isso para mim não vale nada".

No entanto, a parapsicologia consolou fenômenos curiosos que ajudam a entender a ação de alguns adivinhadores A ciên­cia já verificou ser possível a co­municação por telepatia (entre as mentes). Dessa forma, uma pessoa pode ter faculdades de acessar informações contidas no consciente ou inconscien­te de outra pessoa. Se, por exemplo. um tarólogo prevê que seu cliente fará uma via­gem ao exterior, é provável que o cliente esteja com essa in­tenção. Nesse caso, explica Valter, uma pessoa que recebe uma previsão do seu futuro pode, mesmo que inconscien­temente, predispor-se a buscar a realização do fato previsto.

Outra curiosidade é quanto à Astrologia, que estuda a in­terferência dos astros nas vidas das pessoas. Hoje sabemos que a lua e o sol exercem influên­cia no organismo das pessoas. Observamos que certas doen­ças mentais são agravadas em épocas de lua cheia. Há a in­fluência de campos magnéti­cos sobre os seres vivos, mas isso não interfere no nosso des­tino", afirma Valter.